10 novembro 2014

Com esse cabelo? SIM!


Nós crianças negras aprendemos desde pequenas de maneira indireta e sutil qual o nosso lugar nesse modelo de sociedade ocidental e racista. Assim o bom e o mau, o rico e o pobre, o honesto e o ladrão são introjetos em nossas cabeças. E nada é mais “dominador ” do que deslegitimar o cabelo negro, o cabelo crespo, o chamado cabelo “ruim”, induzindo nós meninas negras ( através de propagandas, produtos, novelas etc) a querermos nos adequar ao padrão alisado. Procedimento doloroso que realizamos tão novas que nem nos lembramos como eram os nossos cabelos naturais. É por isso que incomoda quando assumimos o crespo, vamos para as ruas e nos auto – afirmamos enquanto mulheres negras, quando ocupamos os espaços de cabeça erguida mostrando a beleza de nossos cabelos. 



    Propaganda da Benetton.
 Retirada do site: http://exame.abril.com.br/marketing/noticias/10-anuncios-considerados-racistas


Dessa forma, expresso aqui o meu repúdio ao ocorrido durante o programa Teleton, do último dia 08/11/2014. O comentário, visivelmente racista , realizado por Silvio Santos a atriz mirim de Chiquititas, Júlia Oliver, exemplifica a perversidade do racismo brasileiro.

O diálogo em questão, surge quando o apresentador pergunta a menina o que ela gostaria de ser quando crescer. "Eu quero ser ou atriz ou cantora", respondeu Júlia. "Mas com esse cabelo?", devolveu Silvio. "Mas como assim?", reagiu a menina. Logo após ele iniciou uma gargalhada e seguiu para outra atriz.

Devemos lembrar inicialmente que Júlia é uma criança de apenas 11 anos, que com tão pouca idade, sofreu racismo em Rede Nacional. É necessário que se pense quais são os efeitos desse ato, e demais outros que ela tenha sofrido, considerando que este apresentador é o dono da emissora.

Não se sabe a longo prazo qual a consequência do racismo para o indivíduo, mas um fato é certo, racismo adoece! Não podemos permitir que esse tipo de opressão permaneça e muito menos, nos calar quando ela acontece.

Enquanto ao fato de Júlia ser ou não atriz com aquele cabelo LINDO, só tenho a dizer que continuaremos sendo atrizes, advogadas, médicas, pedagogas, assistentes sociais e o que quisermos com esse ( nosso) CABELO CRESPO!


Axé.




Abaixo o link de um vídeo feito com crianças negras e brancas acerca da autopercepção.