18 novembro 2014

ROTUNDAMENTE NEGRA

Não existe frase que mais me contemple do que esta;  " Nossos passos vêm de longe". Frase que já ouvi de várias mais velhas, como Sueli Carneiro. E é assim, saudando aquelas que vieram antes de mim, que penso ser importante conhecermos as nossas irmãs latino-americanas, tão próximas de nossa realidade, tanto de maneira geográfica, quanto ancestral.  Hoje apresento a vocês uma das mulheres negras que tenho muita admiração,Shirley Campbell. Mulher preta, Afro Costa Riquenha, Antropóloga, formada pela Universidade da Costa Rica, ativista e muito orgulhosa de sua cultura.





Foto retirada: http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Shirley_Campbell.jpg

Deixo aqui um de seus poemas mais famosos, Rotudamente Negra. O texto está na íntegra, justamente para nos acostumarmos a romper com essas barreiras idiomáticas. Aproveitem.


Axé.

Me niego rotundamente
a negar mi voz
mi sangre
y mi piel

Y me niego rotundamente
a dejar de ser yo

a dejar de sentirme bien
cuando miro mi rostro
en el espejo
con mi boca
rotundamente grande
y mi nariz
rotundamente ancha
y mis dientes
rotundamente blancos
y mi piel
valientemente negra

Y me niego categóricamente a
dejar de hablar mi lengua, mi acento y mi historia

Y me niego absolutamente
a ser de los que se callan
de los que temen de los que lloran

Porque me acepto
rotundamente libre
rotundamente negra
rotundamente hermosa




           
* Grifos meus.
Para uma possível tradução do texto, acessem: https://translate.google.com.br/

  * Informações retiradas e mais informações no Facebook da                    Shirley https://www.facebook.com/RotundaNegra/timeline