22 novembro 2014

Cristiane Sobral


Olá Mulheres Negras Guerreiras e Homens Negros Guerreiros que dão valor às suas mulheres negras guerreiras.
Em minhas andanças de pesquisa sobre o uso do cabelo natural como política, sobre questões de identidade da mulher negra com relação ao uso do cabelo crespo e toda problemática que envolve esse elemento tão dito não importnate, mas tão usado para humilhar e mutilar a auto estima das meninas negras, achei uma preta empoderada, inteligente e que escreve. Haaaaa como eu amo mulheres negras que escrevem!!
Mas não são quaisquer escritos não. Me ligo em tudo que escrevem sobre mim e minha melanina e meu cabelo crespo. Haaa com eu o amo.
Bom, voltando à pérola que encontrei, ela se chama Cristiane Sobral e a encontrei quando me deparei com o precioso livro - Só por hoje vou deixar meu cabelo em paz.
Ao encontrar essa preta, arretada (baianês), meu orgulho por ser mulher preta e escritora em cosntrução, só amenta.
Vamos conhecer mais uma preta que escreve?
Para ser fiel peguei a descrição feita pela própria em seu blog. no ano de 2009.
Apaixonem-se:



Atriz, escritora e arte-educadora. Carioca, vive em Brasília desde 1990. Mestranda em Arte (UnB-IdA). Pós-Graduada em Docência do Ensino Superior, (Universidade Gama Filho, 2008). Licenciada em Educação Artística (Universidade Católica de Brasília, 2005). 1ª negra graduada em Interpretação Teatral (Universidade de Brasília, 1998). Professora Substituta do Depto. De Artes Cênicas da UnB, da Faculdade de Artes Dulcina de Morais, da Faculdade Anhanguera e do Colégio ALUB. Em 1999, fundou o grupo teatral Cabeça Feita, para criar espetáculos onde a personagem negra redimensione a sua participação no teatro. Atuou e produziu em Angola no ano de 2004, a peça “Petardo”, e em 2007 coordenou por três meses (406 horas aula), um curso de teatro para 150 alunos, a convite do Ministério da Cultura Angolano. Em prosa e poesia, tem publicações nos Cadernos Negros n° 23, 24, 25, 29 30 e 32, no volume “Black Notebooks” e na edição “Cadernos Negros Três Décadas”. Pela Editora Moderna, publicou na Antologia Histórica da Poesia Negra Brasileira, “O Negro em Versos”, (2004). Desde 2002, realiza performances poéticas com o grupo “Oi Poema”, ao lado de Luís Turiba, Nicholas Behr, Ameres Pereira, Angélica Torres e Bic Prado.

Uaaaaaau. Meus olhos brilham!!
Vamos ver o que andou aprontando até aqui, 2014?


  • Cristiane Sobral ocupa a cadeira 34 como imortal da Academia de Letras do Brasil.
  • É membro do Sindicato dos Escritores do DF e coordenadora da Fundação Cultural Palmares.
  • Pesquisa o teatro negro brasileiro, em seu mestrado. 
  • Durante sua carreira, já esteve em diversos estados brasileiros e estrangeiros palestrando sobre teatro e literatura afro-brasileira. 

OBRAS:


Confira abaixo o vídeo em que Cristiane Sobral recita seu poema publicado em Cadernos Negros: 



Cristiane Sobral

Corrupção preta dói demais
Chibatada dentro da senzala fere infinitamente.
Até tu Zumbi?
“Pouca tinta”, eu?

Separem todos os matizes da negritude brasileira
Ficaremos com um nada aguado.
“O mestiço não é nem o sim nem o não, é o talvez”.
Mentira!

Perguntem ao porteiro do prédio
Interroguem o policial
Eles não terão dúvida
Em apontar a consistência da minha melanina

Sou negra
Meus dentes brancos trituram qualquer privilégio retinto
Meu sangue negro corrói a hipocrisia parda
Mela o mito da democracia racial
Corre maratonas libertárias
Rasga as entranhas e reluz
Das cinzas à fênix

No fundo do olho há uma verdade viva
Muito além da minha cor.
Cristiane Sobral
CURTA AQUI: 












AfroBeijos e Até o próximo post!! 
Ufa!!! <3