31 março 2015

Cabelo Crespo X Racismo: Produtos Cosméticos - LOLA



Htp! Salve irmãs e irmãos.
O post de hoje é sobre a marca Lola e mais especificamente 3 produtos da mesma.
Vejam o vídeo e logo após o texto e links que deixarei para vocês refletirem mais sobre o assunto.





Não preciso morrer subitamente, nem preciso de milagre. Sou crespa.

Por: Aline Soares Negríndia

Venho há tempos refletindo sobre nossos cabelos crespos e a forma como este tema tem sido abordado atualmente, principalmente nos grupos afins.
Surpreendi-me com a quantidade de cosméticos voltados para nossos cabelos e me interessei por motivos variados a analisar criticamente alguns aspectos deste acontecimento. Choquei com evidencias que vão desde a criatividade para criar os nomes dos produtos até a agressividade e preconceitos velados através dos rótulos.
Tenho certeza de que muitas pessoas que ainda não fizeram tal leitura acreditarão piamente que estou vendo chifres em cabeça de cavalo. Mas vamos lá, resolvi dividir minha análise com vocês sobre dois produtos que estão sendo exaltados nos grupos voltados para assuntos sobre cabelos crespos, são eles: Morte súbita e Milagre.

Morte súbita: é a morte que ocorre repentinamente, sem previsão, sem sinais de trauma ou violência, em adultos e crianças (...) No passado foi atribuída a causas inexplicáveis, a vinganças de deuses ou maldições (...) Apesar de rara, a morte súbita é ainda inaceitável pelas pessoas e vista pelas mesmas como uma quebra injusta do ciclo natural da vida.

Para me certificar de que meus questionamentos estavam certos, resolvi ler um pouco sobre marketing, estudando algumas dicas que são imprescindíveis para o lançamento de um novo produto no mercado, apresento-lhes o básico e claro não me aprofundarei mais na discussão básica mercadológica, pois afinal não estou falando apenas do marketing usado pelos produtos:
Fase 1 – Idealização, Fase 2 – Desenvolvimento, Fase 3 - Lançamento.

1.1 Pensar estrategicamente qual o mercado que deverá ser atingido e de que forma.
1.2 - Pensar quais benefícios o produto estará proporcionando aos consumidores.
1.3 - Qual a principal promessa do produto?
2.1 - Elaborar um Plano de Marketing com todos os detalhes possíveis, abordando o esquema de vendas e prevendo o nível de aceitação do produto no mercado.
3.5 - Fazer com que todos recomprem sempre o produto.

Após a leitura desse passo a passo, tive a certeza que não estava sofrendo do que muitos acham que é “Ideia persecutória” de mulher negra e crespa sem o que fazer. Essa ideia é lançada em debates e discussões de leituras críticas como essas, por pessoas que tentam deslegitimar quem ousa contra a lógica vazia do capitalismo e do racismo.
Mais uma vez a certeza de que o capitalismo continua ditando o que nós podemos ou não usar e tentando nos empurrar goela a baixo seus preconceitos velados em forma de produtos que buscam matar nossas raízes.
Creio que muitas pessoas usuárias desse mesmo produto não se deram conta de alguns desses meus questionamentos, e também que muitas delas nunca pararam para analisar quem ou o que esses produtos buscam matar subitamente.

Quem é o alvo? Quem tem que morrer? Quem e porque precisa de um milagre?

MILAGRE: Em acepção geralmente empregada, milagre ou miráculo (do latim miraculum, do verbo mirare, "maravilhar-se") é um acontecimento dito extraordinário que, à luz dos sentidos e conhecimentos até então disponíveis, não possuindo explicação científica ainda conhecida, dá-se de forma a sugerir uma violação das leis naturais que regem os fenômenos ordinários. No meio cristão, o milagre tem um papel central e é considerado a prova da origem divina de qualquer uma das «verdades de fé». Tem como finalidade conduzir os seres humanos a Deus de modo extraordinário.

Por que no rótulo desse produto “Milagre” tem uma mulher branca de cabelos “aceitáveis” fazendo caras e bocas e inclusive falas ditando o motivo de você não se assumir com seu cabelo crespo?
Se lermos novamente o significado da palavra “Milagre” devemos então ler que essa mulher branca é uma anja?
Ela através desse produto nos conduzirá enquanto pessoas crespas a Deus de modo extraordinário?
“Nossos cabelos crespos são tão horríveis e inaceitáveis, que só podemos alcançar Deus ou qualquer divindade se passarmos pelo milagre” de termos cabelos não crespos?

Alguém que não faça uma leitura crítica sobre o tema, ou até que rapidamente faça uma leitura rasa, agradecerá por essas empresas poderem proporcionar-lhes algo extraordinário, deixar de ser crespa, não precisar mais esconder seus crespos e poder finalmente balança-los e exibi-los minimamente num padrão “menos agressivo” aos olhos dos preconceitos escondidos nesses tipos de produtos. Pois não me refiro apenas aos rótulos e aos nomes dados aos mesmos e a outros, mas a resposta é simples, quem está morrendo são nossas raízes crespas, dando lugar aos padrões mais aceitáveis de beleza.

Você pode ter seus cabelos crespos, desde que esses sejam de qualquer maneira cacheados, afinal é menos agressivo ver minimamente refletido no espelho padrão eurocêntrico, minimiza tamanha expressão de negritude.

Apesar de velado para muitos, para mim está nítido, o recado é direto, só consigo ler, ouvir, entender e “aceitar” esses produtos da seguinte maneira:

“Matemos subitamente esses cabelos, façamos com que suma de nossos olhos toda essa pretensão de querer ser alguém crítica, alguém que assume suas origens sem se render a essa ditadura dos cachos perfeitos.
Operemos verdadeiros milagres, exterminemos de forma sutil de nossas vidas, todas essas pessoas crespas que se sabem lá os motivos resolvem mostrar diariamente que ainda existem belezas mesmo diante de nossos esforços de catequizá-los em nossos padrões. Arranquem e queimem aquelas coroas em forma de cabelos que são exibidas sem o mínimo respeito a nós, não se cansem de presenciar essas mortes súbitas de crespas mentes, dominadas por uma autoestima de majestade que tentamos arrancar desse povo crespo, desde a época da invasão às terras africanas, onde bravamente nossos heróis, esses que estão nas praças das grandes cidades, esses que são exaltados diariamente através de nomes e sobrenomes do poder e da grandeza do nosso povo, até os dias de hoje, onde para acabar de completar usam turbantes, que me lembram mais coroas de reis e rainhas, usam tranças e penteados que afrontam nossos costumes e me fazem lembrar que mesmo diante de tantas tentativas ainda existem Alines, Hildalias, Genys, Conceições, Nilmas, Iaras, Cristianes, Silvias, dentre outras crespas que tem a petulância de fazer análise sobre nossas estratégias de escravizá-las, mesmo quando passamos tempos e mais tempos traçando estratégias para capturarmos suas crespas mentes.

Referências bibliográficas:
SOBRAL Cristiane - O Tapete Voador - Texto publicado nos Cadernos Negros 34, Ed.

EVARISTO, Conceição- Becos da memória. Belo Horizonte: Mazza, 2006. Quilombhoje. São Paulo. 1ª Ed. 2011.
CORDEIRO Hildalia Fernandes Cunha - A raiz que empodera: cabelos que contam histórias e memórias negro-estético-identitárias.
IV Colóquio Internacional Educação e Contemporaneidade ISSN 1982-3657
blogueirasfeministas.com
http://pt.wikipedia.org/wiki/Morte_súbita
http://pt.wikipedia.org/wiki/Milagre
http://exame.abril.com.br/pme/noticias/7-perguntas-obrigatorias-antes-de-lancar-um-novo-produto
http://www.financeiro24horas.com.br/informativo.aspx?CodMateria=1130
http://loungeempreendedor.com.br/2013/07/01/como-lancar-novos-produtos-no-mercado/



Link da postagem: https://www.facebook.com/sorrisocrespo/photos/pb.333937650129763.-2207520000.1427857857./356401691216692/?type=3&theater


Antes desse texto da Aline, eu mesma já havia feito uma em meu face pessoal falando sobre esses produtos. Cliquem abaixo: https://www.facebook.com/photo.php?fbid=796701580402678&set=a.510824522323720.1073741830.100001885292914&type=1

Produtos citados no vídeo e nas postagens:






Não é só por cabelo
Estou nesse movimento contra o racismo
Comentem e compartilhem! 

AfroBeijos e até o próximo! ;)